9.1.15

Percy Jackson: A Batalha do Labirinto


"O Monte Olimpo está em perigo. Cronos, o perverso titã que foi destronado e feito em pedaços pelos doze deuses olimpianos, prepara um retorno triunfal. O primeiro passo de suas tropas será atacar e destruir o campo de treinamento dos heróis, filhos de deuses com mortais, que desde a Grécia Antiga combatem na linha de frente em defesa dos olimpianos. Para assegurar que esse refúgio de semideuses – o Acampamento Meio-Sangue – não seja invadido, Percy Jackson e um jovem ciclope, ambos filhos de Poseidon, Annabeth Chase, filha de Atena, e Grover, um sátiro, são destacados para uma importante missão – deter as forças de Cronos antes que se aproximem do acampamento. Para isso, será preciso sobreviver ao emaranhado de corredores do temido Labirinto de Dédalo – um interminável universo subterrâneo que, a cada curva, revela as mais aterrorizantes surpresas."

Bom, como já era de se esperar, eu comecei a ler o livro com o coração apertado. Depois de acompanhar o Percy desde seus 11 anos, chegar ao penúltimo livro da série foi puro sofrimento. E um pouco de desapontamento, também. O quarto volume da série Percy Jackson e os Olimpianos não foi tão bom como os outros. O começo foi mal amarrado, dando a impressão de que o autor queria pular logo para a parte emocionante, por isso, inicialmente, eu não achei lá grandes coisas. 
Desta vez, quem recebe uma missão é Annabeth que, junto de seus amigos, embarca em uma aventura no Labirinto de Dédalo, a fim de encontrar Dédalo e impedir que o exército de Cronos use o Labirinto como um "atalho" até o Acampamento Meio-Sangue, arruinando-o.
Então é aí que a aventura começa, entretanto, nada comparado aos outros livros. É sério, eu estaria mentindo se dissesse que não gostei do livro todo, mas foi o único da saga inteira em que Rick deu uma boa enrolada, deixando a leitura um pouco massante. Alguns personagens, como Nico Di Angelo, conseguiram ser chatos. O filho de Hades passa a metade do livro tentando se comunicar com sua irmã, Bianca. Quando ele finalmente consegue, ela o aconselha. E, eu fui toda boba, depositando toda minha fé no Nico, porque ele é incrível, e achei que ele faria a coisa certa. Mas ele ainda continuou com as mesmas atitudes passadas e, pelos deuses, foi muito irritante.
De qualquer forma, por mais que o livro pareça ser péssimo, não é. Alguns momentos são eletrizantes e foram eles que fizeram-me continuar. Sem contar o primeiro trecho em que Percabeth FINALMENTE acontece de verdade. Quero dizer, eu esperei durante três longos livros para ler um trecho em que o casal age concretamente como um casal e o momento chegou! Felicidade aos Percabeth shippers.
Eu aconselho o livro para todo mundo. Mesmo com seus pontos negativos, possui fatos importantes para a compreensão do grande final (que eu resenharei em breve). Beijos!

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. 'que resenha boa de ler!
    'fiquei curioso pra ler, mesmo que tenha sido o livro mais massante até agora, na sua opinião. 'sei como deve ser o caminhas junto com mesmos personagens por muito tempo e chegar uma hora em que a decepção se faz presente :(
    'eu nunca li nenhum livro da série, antigamente eu não tinha nenhuma curiosidade, mas depois que alguns amigos falaram muito bem e depois de eu ler resenhas ótimas, como a sua, fico bastante decidido que preciso iniciar a leitura da série.

    gabryel fellipe - quimeras mirabolantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu recomendo a leitura! Foi o mais massante da saga, sim, mas a série em si é espetacular! Obrigada pela visitinha <3

      Excluir
  2. Adorei a resenha, muito boa. Eu já li essa série há um tempo e sinceramente só consigo pensar nela como um todo, talvez por ter lido os livros um atrás do outro. :)

    http://onceuponatimebycams.blogspot.com.br/2015/01/projeto-7-de-7.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Que bom que gosta de PJO, haha.

      Excluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©